24 março, 2008

Ironia Socrática ou depressão profunda?


"só sei que nada sei"
Sócrates, em grego Σωκράτης, Sōkrátēs, (470 a.C. - 399 a.C.)


17 março, 2008

um diálogo meio louco e filosófico

Quando vi esta foto pensei em postá-la de imediato, mesmo sem saber ao certo o porquê.


Pensei no que disse Bob Marley "O sonho de um careta é a realidade de um maluco", em colocar a foto pura, sem texto algum, etc. Até que resolvi confirmar se o cara trocava idéia com Carlos Drummond de Andrade. Totalmente seguro sobre "ser Drummond na estátua" aproveitei para olhar umas frases atribuídas a ele na internet. Então, criei um diálogo meio louco e filosófico dele, Drummond, com o cara. Ou do cara com Drummond... se assim você preferir!!!

Pode parecer loucura, mas aí sempre lembro daquela frase do Bob...

><>>>

Carlos Drummond de Andrade: "A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."

O cara: “Entre as diversas formas de mendicância, a mais humilhante é a do amor implorado.”

Carlos Drummond de Andrade:

“Amor é bicho instruído
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.”

O cara: “Entre a dor e o nada o que você escolhe”?

Carlos Drummond de Andrade: “As dificuldades são o aço estrutural que entra na construção do carácter.”

O cara: “O progresso dá-nos tanta coisa que não nos sobra nada nem para pedir, nem para desejar, nem para jogar fora.”

Carlos Drummond de Andrade: “Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundos, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.”

O cara: “Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.”

_____________________________________________________________________________________

PS: Todas as frases [do diálogo] são de autoria de Carlos Drummond de Andrade de acordo com as referências do site pensador.info.
PS-2: Recebi essa foto por e-mail, enviada pelo colega Árisson Renato... mineirim bão de bola sô!!
PS:-3: Na própria fotografia já possui a URL de onde ela foi originada...

06 março, 2008

Para Colorir

E aí? Colé ?!

Essas provavelmente serão as primeiras palavras ouvidas por aqueles que tiverem o prazer em conhecê-lo.

PUTA-QUE-O-PARIU !!!

Esta, com certeza, será a mais escutada ao longo da convivência com ele.

Man, você é brother!

Lembro da inquietude, sempre batucando. Tocava [toca] a vida com alegria e uma imaginável bateria...


PARA COLORIR[1] tem muitas histórias engraçadíssimas. Seriam historietas [causos, como prefiro] comuns, mas não são justamente por terem acontecido com ele. Sua cara-de-pau e cinismo são tão convincentes e tão desprovidos de maldade que só nos deixa uma única possibilidade, se pocá de ri.

>>><<<

Lembro duma vez dentro da sala, ainda no Mendel, bem no meio de uma virada de bateria, quando a professora [que tinha dado um tema o qual não lembro agora] interrompeu....


Ricardo Cury !!! – disse ela maliciosamente

– Oooi! – respondeu Cury com a cara mais sonsa e inocente que vi no mundo, enquanto inclinava o caderno, escondendo o conteúdo das páginas do alcance da professora.


– Você pode ler o seu texto? – Perguntou meio que ordenando, pois dessa vez estava certa que pegaria o menino que atormentava suas aulas.


– Claro professora, com prazer! – cinismo e cara-de-pau a toda prova, Cury contou sua história e recebeu os elogios da temida professora emoldurado pelos aplausos e assovios da turma!


O sinal tocou e a bendita professora saiu da sala.

Chegamos perto de Cury e ele virou o caderno, fazendo aquela cara,...

...em BRANCO!!!

Hein????

EM BRANCO!

PUTA-QUE-O-PARIU

______________________

Cury brother muito sucesso e parabéns pelo livro... "sentarei no trono" dando várias risadas agora!!!






[1] RIBEIRO, Ricardo Cury de Orenstein. Para colorir. PQP Editora Fictícia, 2008. 1ª ed. Este é o livro lançado por Ricardo Cury, grande brother e ex-colega de oitava série e primeiro ano do 2º grau. Fui ao lançamento, ocorrido quarta-feira dia 05/03.



O Cury é Publicitário e provavelmente foi dele a brilhante idéia de entregar junto ao livro lápis de cera colorido...